quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Sucuri no Água Branca


Hoje conseguimos flagrar uma sucuri - a famosa anaconda.
Eram 11:30 da manhã quando fomos surpreendidos pela cobra mais temida da Amazônia. Essa foi a primeira vez que conseguimos registrar sua presença no igarapé,  hà dez anos atrás moradores da rua Caravelle pegaram uma sucuri de seis metros mas não havia fotos ,somente o relato dos quatro homens que seguraram a gigante.
Pelo tamanho parece ser filhote, mas mesmo assim assusta . Ficou totalmente camuflada na água e depois foi para parte mais funda onde sempre tomamos banho...simplesmente não dava para ver nada.
Um presente e ao mesmo tempo uma preocupação pois muitas crianças tomam banho no igarapé e não sabemos para onde foi, então provavelmente ficará com o banho só para ela por um bom tempo.


A sucuri é uma cobra sul- americana da família Boidae, pertence ao gênero Eunectes. Tem a fama de ser uma cobra enorme e perigosa, também são conhecidas como boiaçú, boiçú, boiuna, sucurijú, arigbóia e sucuriú.
Existem quatro espécies de sucuri :
. sucuri - amarela , menor e endêmica do Pantanal;
. sucuri - preta, maior e mais conhecida , ocorrendo em áreas alagadas do cerrado e da Amazônia;
. sucuri - malhada , endêmica da Ilha de Marajó ;
. sucuri - da -bolívia .

A sucuri pode viver até 30 anos , é a maior serpente do mundo e as fêmeas são maiores que os machos atingindo a maturidade sexual depois dos seis anos de idade.

Sua banha é usada pelo povo Guarany e demais povos da floresta desde épocas imemoriais para erisipela , reumatismo e contusões .
Essa foi mais uma história dos encantos do igarapé Água Branca , sempre com uma surpresa inesperada para quem convive no local e para os que visitam no virtual !!!







Texto e imagens :  Michele Moraes (administradora do blog )

2 comentários:

Água Branca online disse...

Aqui em parintins uma cobra ou jacaré engoliu um carneiro na casa do seo Nezias. Um rapaz viu ela levando o bicho prá dentro da água e puxou o carneiro pelas pernas, que a cobra ou jacaré ainda não tinha engolido. A bicha soltou o carneiro, mas ele já estava morto. Cuidado com esses bichos são muito perigosos.
Nando Ptins

José Ribamar Mitoso disse...

Jó e Michelle, cuidado co as crianças! Batam na água antes de entrar. Faz parte do modo da cultura indígena-cabocla de lidar com o problma! Assim, na minha infância nos igarapés do Mindu, do São Raimundo e até no Caxangá, ja me livrei de arraia, jacaré... Batam na água antes de entrar!