quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Um trecho do belo poema Amazônia

........Amazônia, amazônia......
quem deterá o teu martírio
uma vida tão adversa num adverso viver
Falo dos teus  hectares de sangue
da lâmina cruel, da pira ardente
dessa cartilha de serras, rifles e archotes
dessa morte plural
na diversidade de aves e primatas
roedores, felinos e serpentes.
Falo de uma terra de cepos
de raízes degoladas
de caules retalhados
de castanheiras preservadas....a morrer de solidão.
Falo da linha negra do fogo e desse cemitério de troncos defumados.....
                                                                    _   Manoel de Andrade  -Amazônia

terça-feira, 13 de setembro de 2011

A gigante Caninana

A Caninana tem fama de brava,quando irritada dilata o pescoço. É da família dos colibrídeos e pode atingir mais de três metros.
Ao contrário do que dizem ela não é peçonhenta, se alimenta de cobras pequenas ,aves, ratos, lagartos e rãs.
Ocorre em todo o Brasil, na Venezuela e nas Pequenas Antilhas. Muito ágil tanto no chão quanto nos galhos das árvores, seu nome na língua Tupi quer dizer cabeça em pé.
Esta cobra foi vista na beira do igarapé Água Branca pelo João Miguel  (10 anos ) que estava procurando ingá.....quando olhou  a Caninana de longe ficou animado achando que era uma super ingá, chegou mais perto e viu que era uma cobra então foi correndo pegar a máquina e claro chamar um adulto. Estava no pé de ingá e quando chegamos perto logo saltou para o chão e subiu rapidamente em outra árvore.

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Rã é flagrada cantando

Rã não é perereca e não é mulher do sapo, são apenas parentes. Existe rã macho e rã fêmea, uma diferença entre rã e perereca são as extremidades dos dedos, pois os dedos das pererecas possuem uma espécie de bolinha, chamada ventosa.
As rãs não contém as mesmas glândulas de veneno do sapo.
Segundo pesquizadores as rãs nunca bebem água, elas absorvem através da pele.
Durante a noite centenas de rãs se encontram para cantar na beira de rios e igarapés e formam um verdadeiro coral.