quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Igarapé Água Branca oxigena Bacia do Tarumã.

 

Digitalizar0013 Digitalizar0001 Digitalizar0004 Digitalizar0017 É lamentável assistir todos os dias o avanço da destruição ambiental no ecossistema Tarumã. Os lagos, igarapés e igapós das bacias do Tarumã-Mirim e Tarumã-Açu estão sendo aterrados, assoreados, dragados e contaminados com todo tipo de lixo. Em apenas dois lagos (Tarumã-Açú e Mirim) um volume de água capaz de encher centenas de milhares de piscinas olímpicas está sendo literalmente destruído. De um lado a poluição tóxica do xorume produzido no “Aterro Sanitário” de Manaus. De outro as invasões humanas em áreas de mananciais, alagados, margens de rios e igarapés. Na parte mais urbana o Tarumã já perdeu 7 cachoeiras, milhares de nascentes, cerca de 70% das florestas nativas, a nimais, insetos e quase todos os pequenos igarapés.

No meio deste cenário lamentável de destruição, descaso governamental e até social, nosso pequeno igarapé Água Branca dá seu aviso: ESTOU VIVO! Nosso blog está mostrando e provando que ainda existe vida nativa pulsante em todos os fragmentos de floresta do bioma Tarumã.     199 515 DSC06279 14mar10 picapau amarelo

 

satelite aeroporto florestaruma72 379  O  Igarapé Água Branca nasce no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes e avança intacto por mais de 10 quilômetros dentro de uma floresta conservada. Somente na foz, quando ele deságua no já quase extinto igarapé da Cachoeira Alta do Tarumã, a ação humana desfigura nosso Água Branca. A cena é grotesca. Alguém, acim da da Lei, resolveu abrir uma estrada para atravessar um buritizal que ABRIGAVA nascentes e florestas.P1050729      

P1050732 P1050733 P1050734

Lutando contra todas adversidades, o Água Branca continua vivo. Continua limpando e oxigenando as águas poluídas do recém criado Corredor Ecológico das cachoeiras Alta e Baixa do Tarumã. Continua jogando milhões de litros de água limpa e fria na bacia do Tarumã-Mirim. O resultado pode ser comprovado numa simples pesca noturna no Tarumã-Mirim. Peixes enormes como a piraíba se alimentam dos peixes menores que se criam nos pequenos e raros igarapés ainda vivos.  143

149 119

4 comentários:

Professor Elias Santos Junior disse...

Parabens pelo blog, precisamos divulgar a beleza de nossa cidade, beleza esta que vem sendo destruida dia a dia acompanhada do descaso do poder publico e principalmente com a conivencia dos orgaos de meio ambiente.

Continue na luta!

CAXIAS disse...

Discordo quando é colocado no blog que ele corre intacto, por cerca de 10 Km. E as propriedades instaladas na sua APP,antes de desembocar na cachoeira não contam? nenhuma possui tratamento de esgotos... basta uma análise nas imagens do google earth para observarmos...

Presidente da Ong Nossa Mãe Terra Ralph Proença disse...

Fala Jó, custei mas cheguei! Vamos arregaçar as mangas e continuar nossa velha luta pelo nosso Tarumã. Como nos velhos tempos... A Ong Nossa Mãe Terra está ao teu lado e eu, teu velho soldado está pronto para o bom combate. O Tarumã está morrendo, o que é que vamos fazer sobre isso? Estamos alertando desde 2003 e nada foi feito até agora! Um barranco vai desmoronar nas proximidades da antiga lagoa azul e causar um enorme desastre ambiental além de isolar parte do Tarumã... Quem vai fazer alguma coisa? Com certeza vão esperar a desgraça acontecer para depois se tomar alguma atitude, como sempre! Minha população de Sauíns de Coleira, também diminuiu muito daqui do meu lado do Tarumã e ai do teu lado, como estão? Forte abraço meu irmão guerreiro!

Presidente da Ong Nossa Mãe Terra Ralph Proença disse...

Em cerca de 30 anos perdemos nada mais nada menos que 22 Igarapés. Verdadeiros mananciais de águas cristalinas, fontes naturais. Perdemos o Igarapé do 40, perdemos o mindú, perdemos a ponte da Bolívia, perdemos o Tarumã... Cinco anos atrás, na Estrada do Turismo sentia-mos a temperatura cerca de dois graus mais baixa que na cidade. Todo o Tarumã possuía uma temperatura agradabilíssima durante o dia e não havia a necessidade de ligarem-se aparelhos de refrigeração durante a noite para dormir. Hoje, já não é mais assim! As incessantes derrubadas de árvores, as devastações provocadas pelas invasões, o assoreamento dos igarapés provocados pelas retiradas ilegais de arreia e páus-de-escora e tantas outras agressões sofridas por anos estão terminando de liquidar definitivamente com o mais importante reservatório de água natural de Manaus, que esta na região do Tarumã. Sobrou-nos o Igarapé das águas Brancas, o último dos “Moicanos”! Simplesinho, humilde, ainda corre sereno irrigando a região de fronteira entre a cidade e o inicio do Tarumã. Este igarapé irriga este solo desgastado, teima em manter vivas espécies indispensáveis a manutenção do meio ambiente e a recuperação do que já foi devastado. Alimenta espécies de vegetação nativa raríssimas, transporta nutrientes e sementes para várias áreas do solo ainda em recuperação. Continua limpo, cristalino, vivo e cumprindo com sua parte no equilíbrio da natureza. Possui moradores fantásticos como o Matupiri, um peixinho que mostra-nos o grau de oxigenação da água por sua própria permanência neste ambiente, também foram encontrados o camarão-lagosta, serpentes aquáticas e outras raras espécies que encontram-se espremidas entre o asfalto da Estrada do Turismo e as muralhas de concreto dos condomínios que avançam sem parar de encontro ao que sobrou deste corredor ecológico. O Igarapé das águas Brancas é um dos poucos alimentadores de águas limpas que ainda abastecem e ajudam a formar a bacia do Tarumã, desaguando um pouco abaixo do que sobrou da Cachoeira Alta. Minha filha de um ano e nove meses tomou seu primeiro banho de Igarapé no Águas Brancas, lembrei-me do que um dia já foi o Tarumã, coisa que minha filha nunca verá! Precisamos nos mobilizar, precisamos acordar deste sono letárgico, precisamos nos unir e fazer alguma coisa séria. Não da mais para brincar de ambientalista e curtir o modismo! Precisamos partir para uma decisão e cobrar a quem compete às respostas e atitudes... Manaus esta perigosa, casas desmoronando, fumaça para todos os lados, ventos e enchentes devastadoras, secas e chuvas aos extremos, uma temperatura cada vez mais alta e muitas promessas não cumpridas. Um Igarapé, um Igarapezinho, por mais humilde e simplesinho que seja pode fazer uma grande diferença. Uma atitude sua, minha, nossa também pode fazer muita diferença! - Vamos cuidar do Igarapé das águas Brancas, ele esta precisando de ajuda e nós, muito mais da existência dele. Ta na hora de você fazer alguma coisa! Cerca de dez anos atrás eu e o Jó, já alertávamos as autoridades das eminentes perdas que o Tarumã sofreria dado ao abandono e a depredação do solo. Hoje, vemos que não estávamos errados! A pista da estrada do Tarumã, próximo a antiga lagoa azul, vai desmoronar em função da erosão que vem ocorrendo silenciosa por baixo do asfalto. Vai ser um terrível desastre! Já cantávamos está pedra há onze anos atrás.
Ralph Proença\
Presidente da ANMT
Ex-Vice Presidente
e Secretário Geral
da Ong Mata Viva