terça-feira, 20 de outubro de 2009

Quem sou eu?


Minha casa é o igarapé da Água Branca. Sou um dos menores marsupiais do planeta, medindo cerca de 15 centímetros. Me alimento de insetos e pequenos frutos. Meus filhotes ficam agarrados comigo e quando nascem, são do tamanho de uma moeda. Sou uma mucurinha e corro sério risco de extinção. Gostaria de continuar morando aqui. Você pode me ajudar? Sabe meu nome científico?

Um comentário:

ROBERTO DELFINO disse...

Sem dúvida estimados companheiros que o Tarumã-açú representa uma fauna diversificada de espécies locais e migratórias. O PATRIMONIO TEM QUE SER CUIDADO, por se tratar de uma área de Proteção Permanente(APP)deferia estar sendo gerenciada, tanto dentro unidade quanto na defesa de seu entorno, resquardando as nascentes como fonte de água boa e limpa,propangando a vida pela própria vida. E não deixando que interesses como as mega-construções, diminuam o poder da natureza e da revigoração dela mesma.

OBS: o que se ver hoje é especulação imobiliária passando por cima de tudo e de todos fazendo com que vida de pessoas comuns e de seus ambientes sejam abalados por interesses de poucos e que muita das vezes não estão preocupados com a fauna e flora e com certeza não irão respeitar com dignidade a vida local e nem os seres da floresta. É fácil assorear com dinheiro e um trator igarapés e áreas verdes por interesses pessoais? mais isso até quando? sabendo-se que o Tarumã representa efetivamnete o quintal da cidade de Manaus que está cada vez mais quente e Urbanizada.

Roberto Delfino Maia - Pesquisador.
SALUTARMA (ONG)