segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Análise ambiental do igarapé Água Branca

Essa semana recebemos os relatórios finais dos projetos desenvolvidos no Centro Regional de Manaus (CR-MN) do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam) em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam). Foi realizada a análise ambiental do igarapé Água Branca (2014/2015) por meio de ferramentas de geotecnologias e também a análise sobre a alteração da paisagem na microbacia do igarapé (2015/2016).
Desenvolvidos pela bolsista Randielly Barbosa Soares, sob a orientação do Dr. Carlos Benedito da Silva e Dra. Solange dos Santos Costa com o intuito de realizar o mapeamento das Áreas de Preservação Permanente da microbacia assim como mensuração do nível de degradação causados pelas ações antrópicas.
Este belíssimo trabalho nos traz detalhes sobre a geologia, geomorfologia, solo, vegetação e  uso e ocupação do solo em um período de trinta anos.
Os resultados das análises dos dados mostraram que as áreas impactadas pela ação do homem foram de 31.48% ao longo dos trinta anos, um total de 183.83 hectares de floresta desmatado e  que os elementos componentes da microbacia que necessitam de cuidados urgentes são os cursos dágua, a mata ciliar e o solo.
Em breve publicaremos a pesquisa na íntegra para que todos possam ter acesso às informações.
O próximo projeto que deverá ter início ainda em setembro, será sobre a hidrologia do Água Branca com a 'Instalação e operação de estações hidrométricas para monitoramento hidrológico da microbacia do igarapé Água Branca', desenvolvido pelo bolsista Vinícius dos Santos (IFAM), sob a orientação do Dr. Carlos Benedito Santana (SENSIPAM) e Dr. Laerte Melo Barros (IFAM).
Desde já queremos agradecer por contemplarem a área do igarapé para a realização desse estudo e parabenizar a equipe muito competente por magnífico trabalho! Com certeza bons frutos virão.






















                                                 Água Branca Online




Queridos seguidores do Água Branca, estamos de volta!
SIM, o Igarapé ainda está limpo e vivo, para quem pensou que havíamos desistido desta luta...NÃO, ele não está resguardado da destruição, se imaginaram que já não precisávamos mais nos preocupar por estar devidamente protegido.
Estivemos distantes por problemas técnicos mas pudemos dar continuidade no monitoramento online através de outra ferramenta (visite nossa página no facebook AGUABRANCA ONLINE EM DEFESA DO ULTIMO IGARAPE LIMPO DE MANAUS - SIGA-NOS) que vem possibilitando um expressivo número de visualizações.
Agradecemos muito o apoio de todos que nos acompanham e vibram pela preservação do último igarapé limpo do perímetro urbano de Manaus, assim como a floresta do Tarumã.
Juntos somos fortes, Manaus merece!












sábado, 22 de março de 2014

Órgãos Ambientais locais liberam desmatamentos no Tarumã 

A cada chuva que cai as mazelas causadas pelos desmatamentos autorizados pelos órgãos ambientais de Manaus nas margens e nascentes do igarapé da Água Branca se revelam mais intensas. Agora além da enorme quantidade de barro e lama que se acumulam nas margens e leito, a turbidez da água está se mantendo por até quatro ou cinco dias. Estamos preocupados com isso e vamos solicitar uma visita ao canteiro de obras da expansão do #AeroportoEduardoGomes, que causou desmatamento e assoreamento das nascentes do Água Branca. A empresa Oliveira Energia também desmatou uma área enorme que vai desde a Av. do Turismo até as margens do igarapé e causou a destruição de muitas nascentes. Essa obra em especial (Oliveira Energia) parece ter desmatado muito mais do que a Licença Ambiental da #SEMMAS - Secretaria Municipal de Meio Ambiente e... autorizava. Já visitamos com fiscais da Semmas e Ipaam e parece que nenhuma providência foi tomada pois todo o barro exposto pela floresta derrubada pela obra está escorrendo para o leito do Água Branca. Essa obra é uma das maiores Vilãs da história que contamos.
8

DIA MUNDIAL DAS FLORESTAS >#SOSFlorestasUrbanasManaus

Hoje é o dia Internacional das Florestas. Boa parte das pessoas acha que florestas são locais distantes, escondidos quase inacessíveis. São cada vez mais raros e pequenos os locais deste planeta, onde florestas se escondem. Não importa mais a distância, o homem chega lá e acaba com tudo. Nada mais é Inacessível.
Se a situação das raras florestas virgens do planeta está assim, que dirá das #florestasUrbanas que em nossa cidade são tratadas como matagal imprestável.
Ainda vai chegar o dia em que sairemos do discurso para a prática no que se refere ao valor das florestas em pé. Estamos fazendo nossa parte mostrando florestas vivas, lotadas com fauna silvestre rara e águas cristalinas.
Por enquanto ainda conseguimos mostrar florestas e bichos que sobrevivem na Apa-Tarumã, mas até quando?
Floresta Unida