sexta-feira, 27 de abril de 2012

Macaco Parauacu.... No Tarumã ainda tem !!!!

O macaco-parauacu,  é encontrado em vários tipos de florestas, apresenta hábitos arborícolas e explora principalmente a região abaixo da copa das árvores. Ocorre em alguns países da região norte da América do Sul, como aqui no Brasil (na região Amazônica), Suriname, Guiana e Guiana Francesa. É um macaco que possui uma vasta pelagem na cabeça, dorso e na cauda, e uma pelagem escassa ou ausente na parte ventral do corpo. 

Esta espécie é a única do gênero (Pithecia) em que existe dimorfismo sexual, ou seja, o macho e a fêmea apresentam características diferentes. O macho possui o corpo com coloração negra e a face branca-amarelada e a fêmea pode apresentar uma coloração amarronzada ou acinzentada-grisalha, com duas linhas brancas ou marrons que vão do canto dos olhos ao canto da boca. O corpo mede de 30 a 48 cm e a cauda de 25 a 55 cm. A dieta é composta principalmente de frutas (60 %) e sementes (33 %), mas também se alimentam de flores, folhas e até pequenos animais, como morcegos e aves. 
                                                                                         Fonte:http://www.zoologico.sp.gov.br/mamiferos/macacoparauacu.htm

Aqui nas margens do Água Branca eles sempre aparecem na Pameira  Inajá, a mesma que o Esquilo e o Pica -pau estavam compartilhando no vídeo acima. Com seus dentes caninos quebram as nozes, são conhecidos também por macacos - voadores por causa de seus super saltos.
De  hábitos diurnos, pesam cerca de 1,5 Kg quando adultos, e chegam a viver 14 anos. 
video

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Um belo exemplo de harmonia e respeito !!!!

video




A pedido de nossos estimados seguidores escolhemos os melhores vídeos para postarmos e esse é um deles.
No alto da Palmeira Inajá flagramos uma dupla sensacional compartilhando as amêndoas , o Pica-pau de cabeça vermelha  e o Esquilo .
Na verdade quando começamos o filme só o Pica- pau  estava comendo e de repente o Esquilo apareceu  roubando a cena....
O Esquilo já é um morador da Palmeira e o Pica- pau apenas um visitante, de vez em quando se davam umas olhadas mas deram um show de compartilhamento ou simplesmente comensalismo.



domingo, 22 de abril de 2012

Parece mas não é !!!!!!!!


Aqui no Tarumã é assim ...nunca estamos sozinhos, parece que sempre tem alguém nos observando .

 É preciso ter olhos bem atentos para enxergar em meio a floresta  seus habitantes com camuflagens cinematográficas.
Esse Sapo Albino estava pendurado na folha de um galho alto que mais parecia um fungo, infelizmente não encontramos nada sobre este sapo mas continuaremos pesquisando .

O esquilo Quatiporú tem a cor dos troncos e é capaz de fazer mil malabarismos para que ninguém o perceba, só não consegue esconder o barulho dos seus fortes dentes roendo as sementes.
O símbolo de Manaus  Sauim de Coleira, que ainda habita fortemente nas florestas do Tarumã também quase não aparece em meio aos reflexos do sol , igualmente ao esquilo sabemos que está por perto por causa dos seus assovios.


Aqui a Jararaca na beira do igarapé,  enquanto as crianças tomavam banho ela pegava um solzinho em cima dos sacos de contenção . É claro que quando  foi vista todos saíram correndo !!!

Abaixo a Cobra Cipó se confunde com os galhos , todo cuidado é pouco com elas pois se arrastam sem fazer barulho e passam como água entre as folhas sem mexer em nada. Geralmente não são agressivas , o perigo está em pisar sem ver.






O Bicho Folha é outro expert em camuflagem , existem diversas espécies que imitam os mais variados tipos de folhas inclusive as folhas podres.
Grandes e pequenos quase impossíveis de perceber porque quando se sentem ameaçados brincam de estátua permanecendo parados se igualando as plantas.
Esses animais são importantíssimos para o ecossistema do Tarumã e o Igarapé Água Branca fundamental para a sobrevivência de todo tipo de vida animal e vegetal .



Apesar de ser uma APA e ter o direito de preservação os condomínios continuam se instalando nas proximidades do igarapé , sendo que todo dia áreas enormes do Tarumã estão sendo derrubadas e centenas de nascentes sacrificadas.
A cada dia que passa fica mais difícil conter tanta destruição .
Propagandas enganosas de condomínios ecológicos que derrubam áreas enormes de mata , matam e desabrigam os animais nativos e depois plantam algumas palmeiras imperiais para enfeitar estão tomando conta de Manaus.
Até onde vamos com tanta estupidez e falta de consciência de nossos governantes que parecem ter parado no tempo.
Agradecemos a todos que nos acompanham nessa batalha e nos animam a continuar .
O TARUMÃ AINDA É O PULMÃO DE MANAUS E NÃO PODE MORRER !!!!!!!

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Grandes reflorestadores da Amazônia

As quase 1.000 espécies de morcegos no mundo comem os mais variados alimentos.
Eles são os grandes responsáveis pelo reflorestamento, sem eles as florestas estão  condenadas, além de predadores de um vasto número de pragas agrícolas e vetores de doenças.
São os únicos mamíferos que voam.
Os morcegos comedores de frutas, os frugívoros, espalham sementes. Bananas e Jabuticabeiras  são frequentemente visitadas por eles.
Alguns morcegos se especializaram em comer pólen ( Polinívoros ) , ao passear de flor em flor eles vão fazendo a polinização e criando vida.
Os carnívoros usam sua poderosa visão ,a ecolocalização e sons emitidos de suas presas para encontrar comida.
Morcegos pescadores ( Piscívoros) capturam suas presas dentro da água e usam a ecolocalização durante a pescaria.
Os morcegos Hematófagos ou vampiros se alimentam de sangue. Alguns de aves e pássaros, outros de grandes animais como vacas e cavalos.
Estudos feitos com as substâncias anticoagulantes presentes na saliva desta espécie (Hematófagos ) poderão ajudar a salvar vidas de pessoas com doenças do coração.
...ENTÃO...
QUEM MATA MORCEGO DESMATA !!!!!!!








segunda-feira, 16 de abril de 2012

Workshop sobre Sustentabilidade nas margens do Água Branca



 Foi realizado nas margens do igarapé Água Branca, nos dias 14 e 15 de abril de 2012, o Workshop "Muito Além  da Sustentabilidade "com Thomas Enlazador .( Ambientalista, Mestre em Gestão e Políticas Ambientais, Cientista Jurídico com foco  em Legislação e Educação Ambiental ,coordenador do Centro Ecopedagógico Bicho do Mato (área rural de Recife ), membro do Fórum Social Mundial e idealizador das Aldeias da Paz nos Fsms ).




Com vários temas envolvidos com a sustentabilidade o curso foi muito produtivo e possibilitou novas experiências e trocas de informações entre os participantes.
Durante as aulas foram desenvolvidas várias dinâmicas entre elas algumas vivências na mata.
Foram dois dias intensos de aprendizado muito bem aproveitados.
O Workshop foi organizado pelo Transition Manaus e Green Hera.


Participantes na experimentação da feirinha de trocas. Aqui o capitalismo selvagem passou longe.









 Vivências no meio da floresta do Tarumã.















Hora de agradecer e trocar contatos. 
Muita coisa boa com certeza vai sair deste encontro. Que venham as eco-vilas. 

domingo, 15 de abril de 2012

É preciso olhar mais de perto para percebermos o que estamos perdendo.




O Olhar atento do João Miguel, capturou mais uma vez um belo e exótico exemplar da riquíssima fauna sobrevivente na APA-Tarumã em #Manaus. Ao lado de sua descoberta ele me chamou quase em silêncio para ver o bicho-folha.
Fiquei impressionado com  precisão e delicadeza da camuflagem. O Bicho-pau havia desenvolvido sua própria folha. Quase um encanto. Era a folha mais viva que já tinha visto na vida.







O animal media cerca de 15 cm, tinha longas antenas e um corpo tão fino que parecia estar descolado da falsa folha, que na verdade tratava-se da verdadeira asa. Um predador top de linha, mestre na camuflagem, com rapidez alada e veneno mortal capaz de matar suas presas em segundos.




A arte da camuflagem só pode ser apreciada no mundo animal, sem a perturbação e destruição do meio ambiente. As florestas que desaparecem no entorno de #Manaus levam junto todos estes animais quase desconhecidos da ciência e das pessoas.




 Quando um trator arrasta tudo pela frente, derrubando árvores jovens e velhas, leva junto toda essa enorme variedade de micro-fauna. Micro por ser representada por animais muito miúdos, às vezes   micro-miniaturas, mas que podem ser vitais na grande teia da sustentabilidade ambiental. Não podemos continuar nos destruindo assim. Alguma coisa de verde precisa restar no entorno de Manaus. O Tarumã não tem vocação para Distrito Industrial.